Reflexão Evangélica: Joyce Meyer é uma excelente escritora. E aprecio ler seus livros, pois eles me fazem refletir e melhorar, reaprender a viver e sonhar com dias melhores.


17 de setembro de 2011

Reflexão Evangélica

Frases Evangélicas

Joyce Meyer é uma excelente escritora. E aprecio ler seus livros, pois eles me fazem refletir e melhorar, reaprender a viver e sonhar com dias melhores. Em um de seus livros temos pequenas reflexões para se ler todos os dias do ano – Terminando bem o seu dia – encontrei uma frase que me chamou muito a atenção: “Voe Mais Alto”. Certo, esta frase é conhecida e repetida, então o que há de novo? - você irá perguntar - a resposta é:
o contexto. Sim, veja só, no pequeno texto que li ela não estava aplicada apenas a sonhar mais alto e sim a saber se desligar, a alçar vôos que te levarão além, que te farão ter uma visão mais limpa da realidade.
Tenho comigo o bom hábito de buscar me reconstruir ao passar por momentos de stress ou de dificuldades. Nossa mente foi criada para durante o período do sono realizar uma auto-análise, reforçando conexões importantes, verificando possibilidades que a razão não poderia permitir durante o dia e testando as ligações entre os neurônios para prevenir possíveis desequilíbrios. Quando falo em reconstruir não estou dizendo que vou dormir, por mais que isto nos faça muito bem, mas o que faço é buscar um ângulo de visão totalmente diferente do que estava olhando o problema. E se isto significar aceitar que estava errado, então este é melhor o caminho. De que me vale a convicção se ela for errada? Se reconstruir pode ser a melhor experiência para o nosso dia, mas certamente é a melhor experiência para nossa vida. Abaixo seguem algumas perguntas que me ajudam e certamente te ajudaram caso esteja passando por algum momento complicado:
Se hoje fosse o meu último dia, o que realmente seria importante para mim?
O que estou fazendo que poderia deixar de fazer para dar mais atenção ao que é verdadeiramente importante em minha vida?
Se eu pudesse olhar o futuro o que gostaria de ver?
Qual a diferença que isto – o que estou passando hoje de dificuldades – fará daqui a quarenta anos?
Eu já passei por dificuldades antes? E estou aqui, vivo! Pronto para vencer novamente!
Estou mesmo fazendo isto só para agradar fulano?
Qual é a pessoa que devo agradar? – Eu pessoalmente acredito em Deus, e é a ele que busco agradar - Quem realmente merece a minha mais sincera gratidão? (se não houver ninguém, talvez seja hora de revisar os conceitos a respeito de “será que sou grato, ou sou um ingrato, e por isto não consigo ver o bem que alguém me faz”)
Então, depois da sessão de perguntas, normalmente paro, fecho os olhos, respiro fundo e penso: é hora de recomeçar.
Quantas vezes recomeçar? Não sei, perdi a conta depois algumas centenas. Mas isto não importa, o que importa mesmo é que enquanto há vida, há esperança. E enquanto houver esperança podemos ser felizes como queremos.
O que nos impede de recomeçar é acreditar que sabemos quem somos, sabemos o que o futuro nos reserva e sabemos de tudo. E a verdade é que não sabemos de nada. Não sabemos quem somos, sabemos em parte. Quando olhamos para algo que não conseguimos enxergar corretamente nosso cérebro busca algo que mais se aproxime e nos dá como resposta. E nos acreditamos. Mas as aparências são apenas isto: aparências. E a verdade é que o futuro é um livro que não pode ser aberto, apenas imaginado.
O seu futuro está agora sendo escrito, a próxima hora é futuro, mas daqui a duas horas será passado, e a pergunta é: o que você terá feito com o seu futuro? Terá mesmo valido a pena se chatear, irritar e deixar todos apavorados por algo que na melhor das hipóteses vai ser só para contentar a opinião de alguém? E a sua opinião? Onde começa a ter importância?
Precisamos mesmo voar mais alto, olhar os problemas com a visão ampliada, olhando de cima você verá que as os ventos e raios estão sempre abaixo das nuvens, mas o céu azul está acima delas, está sempre lá para todos quantos queiram voar mais alto.

Leia outras reflexões neste blog

Gilliard Lima