Reflexão evangélica sobre o Decreto da Morte.


28 de abril de 2012

[Reflexão Evangélica]
Reflexão Evangélica
Reflexão Evangélica

Você já leu a reflexão anterior?

Se você tem decretado morte acompanhe agora atentamente o Decreto da Morte que Deus criou:
Na passagem citada no começo deste capítulo Deus colocou Adão e Eva em uma prova fácil, aparentemente, mas que sem dúvida nenhum de nós passaria. Pode ter certeza que nem eu nem você passaríamos por ela! Por isso está escrito que a morte passou a todos os homens, pois juntamente com Adão e Eva todos pecaram. (Romanos 5.12)
Adão e Eva não estavam passando por privação. Eva não estava com problemas com a vizinha. Adão não tinha problemas com o seu chefe. Eles estavam em uma verdadeira lua de mel no casamento. Tinham uma comunhão incrível com o Criador. Não conheciam o que era tédio, a cada manhã era uma novidade. Tudo ia bem, nada justificava a desobediência, nada faltava, eles estavam no paraíso!
Mas mesmo assim eles falharam.
Este é, em suma, o primeiro Decreto: „A desobediência será punida com a morte‟. Alguém neste instante deve estar pensando:
“Mas se Deus sabia que eles não resistiriam, porque proibiu?”
Pode parecer contraditório, afinal como pode um Deus de Amor fazer um Decreto da Morte? Certamente Deus é Amor, muito mais do que se pode imaginar. Sabemos, no entanto, que Deus é Santo e nEle não há falha alguma, todos os seus propósitos são bons e foi através deste primeiro decreto que Deus começou a revelar tanto o seu grande amor pela humanidade, como a Sua infinita sabedoria.
Imagine um inventor que trabalhe com robótica, por mais que ele trabalhe, o robô não terá condições de ter a mesma compreensão da realidade que tem o inventor. Poderá até mesmo realizar tarefas complexas, mas para cada uma delas deverá ser habilitado pelo inventor. Da mesma maneira nós somos criação de Deus e não temos capacidade de compreender algumas ações de Deus, a não ser que Ele nos habilite para tal. No entanto continue a ler e ao final do sétimo decreto irá entender porque Deus criou o Decreto da Morte.
Um leitor atento das escrituras, no entanto, irá notar que fisicamente nem Adão nem Eva morreram imediatamente. Porém na primeira vez que ouviram a voz do Senhor Deus depois de pecarem, correram para se esconder entre as árvores porque notaram que estavam nus!
Quando falamos em nudez estamos falando em vergonha. Antes de desobedecer, o homem não notava a sua própria nudez, mas a partir do momento que pecou a sua situação ficou clara, a indignidade humana se tornou palpável, o homem a partir daquele instante já não suportaria mais permanecer diante de Deus, pois não havia justificativa para o erro.

Veja a Reflexão do dia

Nas palavras do Senhor Deus morrer é estar separado da sua presença, pois Ele é a Vida.
O homem deveria ser separado de Deus, pois isto é o que Deus afirmou em seu Decreto. E Deus cumpre todos os seus decretos. Desta forma não havia outro caminho para o homem, e ele foi expulso do jardim do
Éden para que também não comesse da Árvore da Vida que lá estava e viesse a ter uma vida Eterna separado de Deus.
Todo trabalhador é digno do seu salário, mesmo o escravo recebe o seu salário: um lugar para dormir e a comida para comer. O salário do pecado é a morte, desobediência é pecado! Fazer algo na dúvida se é certo ou errado, é pecado. Saber fazer o bem e não fazer é pecado.
Mas não, amigo leitor, nem tudo é pecado!
Veja: Adão e Eva estavam privados de apenas uma árvore do jardim, de todas as outras poderiam comer livremente!
Alguns numa tentativa de se justificarem dizem: Tudo é pecado! Mas nós que cremos, sabemos que a lei de Deus é perfeita. Aquilo que Deus proíbe, proíbe para o nosso próprio bem, afinal qual o pai que não proíbe o filho de brincar com a eletricidade? O problema não é a eletricidade, sabemos que ela é extremamente útil, mas o real problema é sabermos respeitar limites. Você coloca o dedo na tomada e leva um tremendo choque, mas se você utilizar ela para ligar o seu ferro de passar roupas certamente terá benefícios!
Adão após pecar tentou de várias formas justificar a sua desobediência.
Logo após notar que não poderia se esconder de Deus, jogou a culpa na mulher em uma tentativa de se  livrar da sentença do primeiro Decreto. Mas ao terminar a frase Adão declara: „eu comi‟. Eva por sua vez não teve justificativa melhor: „a serpente me enganou, e eu comi‟. Note que ela também não consegue esconder a sua falha.
Diante de Deus, não há justificativas para o erro, apenas confissão! Apenas uma sincera confissão poderá aliviar o fardo! Neste relato que encontramos no inicio do livro de Gênesis, Deus reafirma o 1º Decreto: “No suor do rosto, comerás o teu pão, até que tornes à terra, pois dela foste formado; porque tu és pó e ao pó tornarás” (Gênesis 3.19)
Decreto real tem que ser cumprido, Deus nos dá a escolha entre a vida e a morte, entre o bem e o mal. (Deuteronômio 30.17.18) Sabemos que ainda hoje a alma que pecar morrerá! (Ezequiel 18.4).
A maioria de nós tem lembranças da época em que estávamos na casa de nossos pais e quando certa vez ficamos sozinhos em casa e contamos os segundos para que nosso pai ou mãe voltasse, enquanto isto nos lembrávamos que não estávamos valorizando eles, prometíamos a nós mesmos que seriamos filhos melhores. Acostumamos-nos a valorizar algo apenas quando perdemos. Com Adão e Eva nós também pecamos, também recebemos o cumprimento do primeiro decreto e alcançamos a separação de Deus e a tão temida morte, mas Deus não deseja estar separado de nós, antes permite que este breve tempo de separação seja para reflexão sobre a importância da sua presença nas nossas vidas.
Não fomos criados para o pecado, nem para a morte, o Senhor Deus deseja ainda hoje desfrutar da sua companhia, mas para isto precisamos de vestes para cobrir a nossa vergonha.
Deus não suporta o pecado, mas ama o pecador arrependido! Não se esqueça do 1º Decreto, que nas palavras de Paulo é:
“O salário do pecado é a morte”
(Romanos 6.23)
Esta reflexão faz parte do livro Os 7 Decretos de Deus que está sendo disponibilizado gratuitamente através deste site, acompanhe nos próximos dias - outras reflexões estarão disponíveis - ou leia outros artigos do livro clicando no link abaixo:

Os 7 Decretos de Deus


Gilliard Lima