Reflexão sobre as Palavras que Falamos Sem Pensar Direito.


31 de maio de 2014

Palavras


As Palavras Não Voltam sem Cumprir seu Desígnio



"Com quem achares os teus deuses, esse não viva; reconhece diante de nossos irmãos o que é teu do que está comigo, e toma-o para ti. Pois Jacó não sabia que Raquel os tinha furtado."
(Gênesis 31.32)

Eu Falo Muito!


Depois que falamos não podemos "desfalar", podemos até nos desculpar, mas as palavras não voltam mais. Elas se vão e cumprem o propósito para o qual foram designadas. Se forem boas, serão bons resultados, se forem más, então teremos problemas. Foi o que ocorreu com Jacó, ele falou, mas não sabia que a pessoa que ele mais amava era o alvo secreto da palavra mortal que acabara de proferir. Ele disse a Labão: "Com quem achares os teus deuses, esse não viva;". Jacó não sabia, mas eles estavam com Raquel. E sobre Raquel ficaram estas palavras. E sobre elas se cumpriram pouco tempo depois: "Assim morreu Raquel, e foi sepultada no caminho de Efrata; que é Belém." (Gênesis 35.19)

Nós estamos acostumados a falar. Falar é fácil, prazeroso e necessário. Ficar um dia sem falar é como ficar um dia sem beber água, faz muita falta. Falamos e acreditamos que sabemos falar, mas afinal de contas o que falamos tanto? Falamos sobre as outras pessoas, sobre coisas, sobre idéias, sobre o que passou, o que virá e sobretudo falamos muito sobre nós mesmos. Falamos inclusive sobre tudo isto misturado de uma só vez e se possível em uma só frase. Mas a verdade é que normalmente - mesmo falando tanto - falamos mal.

Falar mal não é necessariamente falar palavras erradas, sem concordância, ou com o sentido distorcido. O "Falar mal" destacado aqui nesta reflexão é o ato de falar o que não é bom. Nós falamos palavras diariamente que podem fazer mal para nós e para os outros. Não acredita? Vejamos alguns exemplos:

As pessoas falam:

Eu não posso fazer isto.
Estou quebrado hoje.
Tenho dificuldade para aprender matemática.
Minhas pernas estão me matando.
Acho que não vou conseguir suportar mais.
Todo mundo sempre age assim comigo.
Hoje estou chateado.
Isto me deixa irritado.
Nunca vou conseguir.
Já estou perdendo as esperanças.
Dá vontade de pegar ele pelo pescoço.
Não consigo controlar minha ira.
Ele não aprende nada.
Eu vivo para pagar contas.
Você nunca faz o que é certo.
É sempre a mesma coisa.
Este menino é muito burro.
Todo mundo fica zombando de mim.
Ninguém me ama.
A vida inteira foi sempre a mesma coisa.

Isto para citar só as mais "doces" entre elas. E apenas algumas poucas delas.

O que elas tem em comum?


Todas elas nos levam a extremos, nos fazem perder a razão ou ainda agir como alguém que está descontrolado. Mas acima de tudo, elas nos fazem receber algo que é mentira como se fosse uma verdade. Fazer uma declaração forte em um momento de grande emoção é um erro terrível. Devemos evitar a todo custo, pois o custo de uma palavra pode ser uma vida.

Quando começar a falar depois de terminar de ler esta reflexão pense: estas palavras são boas, edificantes e sábias? Vale a pena falar isto? Quando estiver irritado (ou irritada) com alguém lembre-se que forte é quem consegue conter as próprias palavras. Quando não conseguir controlar suas palavras vá para um canto e fale com Deus. Ele entenderá seu desespero, e lhe dará paz. Mas não deixe que uma palavra se transforme em um motivo para lamentar.

Abrão se tornou Abraão, e com uma letra passou de um homem sem filhos para pai de uma multidão. Apenas uma letra e toda a história mudou. Se com uma Letra Toda a História pode mudar, Quanto mais ainda com uma Palavra Inteira? Falemos, pois com sabedoria, para que possamos ser cada dia mais sábios e aprender até mesmo a algumas vezes não falar nada, pois o silêncio é a força do sábio.

Que - no futuro - possamos nos lembrar de nossas palavras com a sensação de "foi bom ter falado assim"!

Perguntas para Reflexão:


1) Tenho prestado atenção ao que estou falando?

2) Eu falo bem, ou falo mal?

Gilliard Lima
- Reflexão Bíblica publicada originalmente no site FraseseReflexoes.Net -