"Só nos sentimos parte quando participamos." - Gilliard Lima


20 de outubro de 2016
Só nos sentimos parte quando participamos.




"Só nos sentimos parte quando participamos."


Se você não sabe porque as pessoas não se envolvem/engajam/comprometem precisa responder urgente algumas perguntas:

1) Quero que as pessoas participem? Deixo que elas Contribuam?
2) Incentivo e reconheço quando as pessoas participam? Utilizo as idéias dos outros ou dou "preferência" as minhas?
3) Permito que elas participem apenas de algumas etapas? Faço questão que as pessoas participem do planejamento?
4) Entendo que nenhum de nós é melhor do que todos nós? Estou disposto a ver em cada pessoa um líder?
5) Estou disposto a abrir mão da minhas idéias? Ouço até o fim quando alguém está falando?
6) Consigo delegar responsabilidades? Junto com a responsabilidade delego também autoridade?
7) Busco ter ao meu lado pessoas melhores do que eu? Acredito realmente nisto?

Quando se fala em desejar que as pessoas participem é necessário descobrir o que exatamente se quer dizer com isto, pois algumas vezes não se quer realmente que as pessoas participem, mas apenas que elas assistam e - no máximo - façam algumas coisas.

Se a sede por controle for muito grande não haverá espaço para algo novo.

Quando o controle está presente não há espaço para algo diferente, muito menos para a participação. E se esta é a situação também não haverá espaço para o crescimento, para algo melhor, para um resultado diferente do que se tem até agora.

Responda com sinceridade:

Você - pessoalmente - estaria disposto a construir algo que grita para você a todo momento: Você não Faz parte disto!

A resposta a esta última pergunta deixará claro o que a frase de reflexão deste artigo busca revelar:

"Só nos sentimos parte quando participamos."


Gilliard Lima