Deus sempre dá oportunidades para os homens e cada um recebe de acordo com a sua capacidade de corresponder a elas.


10 de agosto de 2014
A Justiça de Deus

A Justiça de Deus


"Mas, se as suas posses não bastarem para um cordeiro, então tomará duas rolas, ou dois pombinhos: um para o holocausto e outro para a oferta pelo pecado; assim o sacerdote fará expiação por ela, e ela será limpa."
(Levítico 12:8)

De Acordo com suas Posses



A Justiça de Deus não pode ser completamente entendida por um coração injusto. Isto é fácil de verificar, pois nossos padrões de pensamentos não são iguais ao de Deus. É como alguém que nunca foi a Londres tentar descrever como é morar lá. Quando Deus determinou como o povo deveria demonstrar sua fé e respeito por Ele fez com que tanto o rico quanto o pobre tivessem iguais condições de fazer isto. Isto é justo.

Quando falamos em Justiça de Deus muitos se incomodam por imaginar que muitos homens fazem o mal e escapam, mas esta é uma visão totalmente equivocada. Ninguém escapa da Justiça de Deus. Ninguém mesmo. Na verdade é muito melhor para o homem que sobre as consequências nesta vida de suas ações erradas, pois quem não passa por este julgamento aqui terá que pagar na eternidade.

Deus sempre dá oportunidades para os homens e cada um recebe de acordo com a sua capacidade de corresponder a elas. Veja na parábola abaixo que Deus dá a mesma recompensa ao que tinha 5 talentos e ao que tinha dois talentos:

"E muito tempo depois veio o senhor daqueles servos, e fez contas com eles. Então aproximou-se o que recebera cinco talentos, e trouxe-lhe outros cinco talentos, dizendo: Senhor, entregaste-me cinco talentos; eis aqui outros cinco talentos que granjeei com eles. E o seu senhor lhe disse: Bem está, servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor. E, chegando também o que tinha recebido dois talentos, disse: Senhor, entregaste-me dois talentos; eis que com eles granjeei outros dois talentos. Disse-lhe o seu senhor: Bem está, bom e fiel servo. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor." (Mateus 25:19-23)

Deus não exige de nós mais do que podemos oferecer, nem nos dá mais do que podemos receber, porque isto é justo. Se temos recebido de Deus em grande medida bens e talentos precisamos ficar atentos, pois é nesta mesma medida que iremos prestar contas. Se tivermos recebido pouco, mesmo que seja um muito pouco, devemos estar conscientes que é nesta mesma medida que seremos cobrados, mas se não tivermos nada para apresentar a Deus não ficaremos impunes. Portanto, cabe a cada um de nós se examinar com atenção e buscar encontrar onde estão nossos dons e talentos, tudo que Deus tem nos dado, e trabalhar com eles a fim de que possamos apresentar diante de Deus nossos melhores frutos, nossa melhor oferta.

"E, a qualquer que muito for dado, muito se lhe pedirá, e ao que muito se lhe confiou, muito mais se lhe pedirá." (Lucas 12:48)

Perguntas para Reflexão:


1) O que tenho feito com o que Deus tem me dado?

Reflexão na Prática


Leia hoje o capítulo 12 de Levítico.

Gilliard Lima


- Reflexão publicada originalmente no site FraseseReflexoes.Net -